Unicamp divulga lista de livros válida para o Vestibular 2018



A nova lista apresenta alteração de três obras em relação à lista anterior

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) está divulgando a lista de livros de literatura de língua portuguesa, cuja leitura é obrigatória para candidatos ao Vestibular Unicamp 2018. São 12 obras de diferentes gêneros e extensões, de autores das literaturas brasileira, africana e portuguesa. A cada ano, a Unicamp renovará parcialmente as obras que compõem a lista, para permitir o planejamento do professor e, ao mesmo tempo, acompanhar a dinâmica própria do sistema de ensino, cujo público se renova todos os anos. A lista para o Vestibular 2018 apresenta três obras novas em relação à anterior. É importante destacar que essa lista não é a mesma para o Vestibular Unicamp 2017, que ocorre ainda este ano, e cujas obras já foram divulgadas anteriormente. Ambas as listas podem ser consultadas nesta página.

A lista de obras inclui romances, poesia, peça teatral, contos e sermões, a fim de levar o vestibulando a ampliar o seu campo de estudos, sem sobrecarregá-lo no volume de leituras. Abaixo está o programa de leituras para o Vestibular Unicamp 2018. As obras marcadas em negrito são as que foram inseridas na lista atual. As demais já constavam da lista anterior.

Poesia:
Luís de Camões, Sonetos1
Jorge de Lima, Poemas Negros (Livro distribuído pelo governo federal no PNBE).

Contos:
Clarice Lispector, Amor, do livro Laços de Família.
Guimarães Rosa, A hora e a vez de Augusto Matraga, do livro Sagarana.
Monteiro Lobato, Negrinha, do livro Negrinha (Livro distribuído pelo governo federal no PNBE).
Machado de Assis, O espelho.

Teatro:
Dias Gomes, O bem amado.

Romance: 
Aluísio Azevedo, O cortiço.
Camilo Castelo Branco, Coração, cabeça e estômago (Livro em domínio público).
Érico Veríssimo, Caminhos Cruzados (Livro distribuído pelo governo federal no PNBE).
Mia Couto, Terra Sonâmbula.

Sermões:
Antonio Vieira 2
(1) Sermão de Quarta-feira de Cinza – Ano de 1672;
(2) Sermão de Quarta-feira de Cinza – Ano de 1673, aos 15 de fevereiro, dia da trasladação do mesmo Santo;(3) Sermão de Quarta-feira de Cinza – Para a Capela Real, que se não pregou por enfermidade do autor.

Clique aqui para ver os sonetos selecionados, cuja leitura é obrigatória.
VIEIRA, Antonio. A arte de morrer: os sermões de Quarta-Feira de Cinza de Antonio Vieira. Concepção e organização, prefácio, notas e cotejo com o editio princeps Alcir Pécora. São Paulo: Nova Alexandria, 1994.

 (



Conteúdo relacionado