USP mantém centros de saúde para ensino e atendimento ao público



Localizados em São Paulo e Ribeirão Preto, espaços também contribuem para o desenvolvimento de pesquisas

Por Larissa Fernandes

 


CSE Samuel Pessoa, no bairro do Butantã, em São Paulo, está completando 40 anos – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

 

Os Hospitais das Clínicas, de Ribeirão Preto e São Paulo, Hospital Universitário e Hospital de Anomalias Craniofaciais/Centrinho, em Bauru, são instituições de saúde facilmente relacionadas à USP pelo atendimento à população e por serem utilizadas na formação de estudantes e no desenvolvimento de pesquisas. No entanto, a Universidade ainda mantém três centros de saúde-escola (CSE) para assistência às comunidades onde eles estão localizados, via Sistema Único de Saúde (SUS).

As unidades são serviços de extensão das Faculdades de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) e de São Paulo (FMUSP) e da Faculdade de Saúde Pública (FSP), destacando-se na saúde coletiva, com foco na atenção primária. Diferentemente das Unidades Básicas de Saúde (UBS), que oferecem apenas atendimento ao usuário, os centros direcionam seu foco também na formação de profissionais e na pesquisa científica, recebendo estagiários, residentes e profissionais de todo o Brasil.

É o caso da psicóloga Nayara Portilho, residente no CSE Samuel Pessoa, ligado à FMUSP. Ela se formou na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em 2014, e termina este ano a sua pós-graduação no Programa de Residência Multiprofissional em Atenção Básica e Saúde Coletiva. “Me sinto privilegiada em poder estar no CSE e, ocupando esse espaço, tento produzir ações importantes para a sociedade. Esse é o meu objetivo enquanto profissional”, afirma.

 


Alunos da FMUSP realizando entrevistas com pacientes no CSE Samuel Pessoa – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

 

Outro residente do centro é o médico Adalto Pontes. Formado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa), ele escolheu a residência no CSE por acreditar que o lugar ofereça a melhor formação na Medicina Preventiva e Social, área de sua especialização.

Pontes participa do Programa de Atenção à Saúde na Adolescência. “Fiz atendimentos individuais com adolescentes na clínica médica. Também acompanhei as consultas de enfermagem, participei de grupos com os jovens e fui às escolas”, conta o médico sobre as atividades desempenhadas durante o estágio. Para ele, a experiência na unidade foi importante para entender que a promoção de saúde deve ser feita a partir de embasamento teórico, boas políticas e profissionais bem informados.

Localizado no bairro do Butantã, em São Paulo, o centro de saúde é formado pelos Departamentos de Medicina Preventiva, de Pediatria, de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional e de Enfermagem. A atual diretora, Mariana Arantes Nasser, explica as funções do primeiro nível de cuidado realizado no espaço. “A saúde primária se ocupa em atender situações mais comum na população. Desde não estar se sentindo bem até exames preventivos, como cuidar do pré-natal, sendo responsável pela promoção à saúde e prevenção de doenças.”

 


Atendimento realizado no CSE Samuel Pessoa – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

 

Fora os residentes, estudantes de graduação também frequentam disciplinas ministradas no CSE. “Alunos da Medicina realizam atividades ligadas a dialogar com o paciente. Fazem entrevista com ele – chamada de anamnese, para saber a sua história e, assim, conseguem investigar os sinais de sintomas e analisam quais são os tratamentos”, revela Mariana.

Alunos da Psicologia, Enfermagem, Gerontologia, entre outros cursos da Universidade, também complementam o seu aprendizado na unidade. É o caso da estudante do curso de Saúde Pública da USP, Gabriela Murizine. Ela participa de um grupo de pesquisa sobre a saúde do adolescente e realiza o estágio supervisionado, focado em gestão. No último ano da graduação, Gabriela afirma que “conhecer a prática no centro de saúde é mais fácil pelo acolhimento que os profissionais têm com o estudante, eles lidam muito bem com o fato de ser uma unidade escola”.

 


Gabriela Murizine, estudante da Faculdade de Saúde Pública – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

O centro passa por um momento de transição devido à queda no quadro de funcionários. Muitos aderiram ao Programa de Incentivo à Demissão Voluntária (PIDV) realizado pela Universidade, causando a diminuição dos atendimentos. A diretora do CSE lembra que outro fator para a diminuição é o deslocamento de pacientes para a UBS criada no Jardim São Remo, comunidade ao lado da Cidade Universitária.

Esse cenário não paralisou os integrantes do CSE. “Não paramos de tentar melhorar e fazer um atendimento em saúde o mais qualificado possível, dentro das condições históricas e econômicas que vivemos”, declara Nayara. Como no caso da criação de uma equipe “piloto” para tentar modificar o acesso à unidade. A ideia é permitir que as pessoas sejam atendidas assim que chegam ao centro de saúde, sem a necessidade de marcar consulta.

 


Fachada do CSE Joel Domingos Machado, mais conhecido como Cuiabá, em Ribeirão Preto – Foto: Divulgação

CSE em São Paulo e Ribeirão Preto

O Centro de Saúde-Escola Geraldo Horácio de Paula Souza, da Faculdade de Saúde Pública (FSP), é o mais antigo entre eles, este ano completa 92 anos de atividades. Ele realiza atendimentos na atenção primária e também na secundária, enfatizando a importância do trabalho em equipe multiprofissional, com serviços que vão desde a geriatria, fonoaudiologia, homeopatia, nutrição, dermatologia sanitária (hanseníase), saúde mental, saúde da mulher, da criança e do adolescente, tisio-pneumologia, homeopatia e nutrição até programas de atenção à violência sexual, terapia ocupacional e vigilância sanitária. Localizado no próprio prédio da FSP, no bairro de Cerqueira César, em São Paulo, o centro tem Paulo Rogério Gallo como atual diretor.

 


O CSE Geraldo de Paula Souza é o mais antigo entre os centros de saúde da USP – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

 

Já a população do município de Ribeirão Preto tem o Centro de Saúde-Escola Joel Domingos Machado como espaço para atendimentos. Com a direção de Nereida Kilza da Costa Lima, o local presta assistência farmacêutica e odontológica, realiza pequenos procedimentos cirúrgicos, vacinação, atenção e cuidados de enfermagem, entre outros serviços. Programas de saúde também são desenvolvidos na unidade, como o da Saúde da Mulher, do Idoso e Anti-Tabagismo.

Jornal da USP



Conteúdo relacionado